terça-feira, 9 de novembro de 2010

Cabelos Brancos...

A idade não perdoa…

E o tempo, depressa se escoa…

Ainda ontem eu era um frágil rebento

E hoje… já sou quase, um velho rabugento

Quarenta e sete Primaveras por mim já passaram

Muitas das quais, a minha felicidade embelezaram

Muitos belos e valiosos tesouros eu conquistei

Alguns já os perdi mas… jamais eu os esquecerei

Com a “APOLLO 11” sonhei um dia…

A lua vir a visitar

Mas só o trem azul da poesia…

Até hoje, ele conseguiu-me lá levar

O amor e a cega paixão fizeram de mim, um sofredor

E assim…acabei por ficar viciado nesta tão subtil dor

A amizade foi para mim algo que deu muito prazer

Quiçá graças a ela, estou este singelo texto a escrever

A idade não perdoa…

E o tempo, depressa se escoa…

Ainda ontem eu tinha cabelos pretos encaracolados

E hoje… já tenho cabelos brancos desbravados!

Um obrigado muito sincero e sentido a todos meus queridos familiares e amigos que neste dia especial para mim, com “mimos” o meu coração já presentearam (ou que ainda o venham a fazer) bem-haja a todos vós por terem-se lembrado deste “rapazito” de cabelos brancos desbravados hehehe.

Mil abraços…

Mil beijinhos!

8 comentários:

Anônimo disse...

Hei! cheguei aqui mesmo a tempo! Muitos parabéns felizes e eternos anos de vida para ti meu grande, adorável e tão especial amigo. A tua linda amizade nunca se apagará do meu coração.

Quanto ao texto "Tonto?" tu... bem sabes que não os és pois aquilo que tu és na realidade (para mim) é seres um cavalheiro possuidor de uma verdadeira e fogosa paixão a qual quem dela usufruir pode considerar-se a mulher mais sortuda do mundo. Volto a repetir uma vez mais ainda até á data de hoje conheci alguém tão perdidamente apaixonado como tu.
Gostei imenso deste teu texto muito simples, sincero e carregado de pura e emotiva paixão.

Desejo-te uma vez mais os meus parabéns com muitas prendas á mistura a minha só perto do natal é que te posso oferecer deixo-te para já um beijo muito especial para ti meu querido amigo poeta.
Até breve...

Ana Liza

Chica disse...

Só 47 e tu te achas velho??? Então o que sobra pra mim???rss...
FELICIDADES,PARABÉNS!!!

O tempo voa mesmo e não perdoa, o bom é aproveitar bem a cada dia.

Desejo tuuuuuuuuuuuuuuuuudo de bom!um grande abraço,chica e boa festinha!

Anônimo disse...

Parabéns e muitos beijossssssssssssssssss da tua musa inspiradora.... xicoração

Otelice disse...

Querido amigo,
P A R A BÉ N S!
Que a felicidade eterna te persiga e te alcance, fazendo morada no teu belo coração.
Que o futuro te traga brisa mansa e certeza de descanso, nos braços macios do amor e da paz.
Bjs. no teu coração.

Fátima disse...

Pois é, tenho questionado a idade.
A verdade é que ela chega de mansinho.
Quando menos a gente espera
ela desespera.
Chega cruel e arrebenta.
Feliz aquele que aguenta com dignidade.
Mas ela não perdoa
zoa... zoa... zoa.
O cabelo começa a branquear
algumas coisas a despencar.
Ação da gravidade?
IDADE MESMO!
Mas eu não ligo não me intimido...
E sigo!
Ainda tem tempo para ela me pegar.
Li certa vez algo assim:
" Eu fiz um acordo com o tempo...
Nem ele me persegue, nem eu fujo dele...
Qualquer dia a gente se encontra "
E, dessa forma, vou vivendo
Intensamente cada momento...
Enfim, parabéns a vc!
Com carinho
Fátima

Flávio Miguel Mota Pereira disse...

Cabelos brancos mostram a idade mas não mostram o intelecto e o sentimentos, partes que te fortalecem.
Porta-te bem caro amigo, belissimo poema.

emilia soares disse...

Romantico incurável!!!Estás como o vinho do Porto, quanto mais velho melhor...Beijocas

FatinhaMussato disse...

Parabéns, poeta!

Feliz aniversário, Amândio meu querido amigo/irmão poeta!
Felicidades, Paz e amor em todos os dias de sua vida!

Beijinhos e meus carinhos!

Fatinha.

Postar um comentário