sábado, 25 de abril de 2009

Deixem o "poeta" sonhar/amar!

Quem escreve continuamente por uma paixão
Não deveria só por isso ser criticado
E quem critica esta mesma situação
Também jamais deveria ser condenado
Pois quiçá, quem toma este tipo de posição
É certamente alguém triste e amargurado
Ou, no mínimo desprovido de qualquer coração
E só por isto ele(a) não deveria então de ser condenado
Pois isso não passará de uma mera e íntima indefinição
Que durará até um dia, ser pelo cupido visitado
E aí… acabarão inevitavelmente as críticas á paixão.
E quem escreve por ela, deixará também de ser censurado
Isto porque, escrever ou falar aquilo que nos vai no coração
É, (penso eu) um legítimo direito na vida demais consagrado
Assim sendo…
Não se deve ter medo nem vergonha em dizer (ou escrever)
Aquilo que tantas vezes nos vai na alma ou no coração
E acho que só deve ser criticado
Todo aquele(a) que se remete à critica anónima ou simplesmente
Todo aquele(a) que jamais exprime a sua real e sentida opinião.



“O puro em impuro imediatamente se transforma
Logo que alguém, à pureza pretende ou julga assimilar-se”. (apollo11)

1 comentários:

Lice Soares disse...

Muito bem, poeta. Sábias as tuas palavras. Contudo, dê ouvido apenas ao teu coração. Ele é sábio.
Permita-me, acrecentar algo que escrevi:
Não me tirem os sonhos
Deixem-me sonhar.
Quero apenas ser irmã da poesia,
Quero em seu mundo navegar.
Não me tirem os sonhos.
Enquanto sou poeta, sou busca e sou cantar
Espero com o meu canto, afugentar as dores e só o Amor proclamar.
Abraços poéticos.

Postar um comentário